fatos surpreendentes e desnecessários


Sobre a Beleza da Impermanência (ou extrema ternura por minhas imagens-órfãs)

Posted in Uncategorized por camilak em setembro 25, 2008

Réquiem de bolha de sabão virando ar

Calor mínimo na cama recém-abandonada

Água sugada do cabelo lavado

Textura de sexo nos dedos

Pingo de ursinho de pelúcia no varal

Ar doce e quente de fábrica de biscoitos

Vesguice de quase-gozo

Língua no azedo, no gelado, no sabor errado

Espirro

Susto bom

Existência de borboleta

Coisas que derretem, se autodestroem, evaporam, sublimam-se, evanescem, borrifam-se, perdem-se, apagam-se, somem, são engolidas inteiras…

O instante

O desejo nos seus olhos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: